O ministério da música e do canto

“O canto não deve ser considerado como mero ornamento que se acrescenta à oração, como algo extrínseco, mas antes como algo que emana do profundo do espírito daquele que trabalha e louva a Deus, e mostra de maneira plena e perfeita a índole comunitária do culto cristão.”
(Instrução Geral para a Liturgia das Horas, nº 270.)

O ministério do canto é exercido por todos os membros da assembleia, de acordo com suas diferentes funções litúrgicas. Há cantos que cabem a toda a assembleia, outros que cabem ao ministro, ao coro, ao grupo de canto, ao salmista, sendo que a função do animador ou dirigente do canto é muito especial.
A assembleia, comunidade celebrante. “Nada mais festivo e mais grato nas celebrações sagradas do que uma assembleia que, em seu conjunto, exprime sua fé e sua piedade por meio do canto.” (MS, 16.) A assembleia é o ministro principal da música e do canto. Todos – ministros, cantores e povo – formam uma grande comunidade, sinal da assembleia universal e definitiva em que “toda criatura, do céu e da terra, cantará Àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro, louvor, honra e glória pelos séculos dos séculos”. (Ap 5,13.)